Artigo

Os benefícios econômicos da otimização do estoque

Por Scott Fenwick,
The Economic Benefits of Inventory Optimization

O estoque de um varejista representa seu maior ativo líquido e é um investimento vital. Do ponto de vista financeiro, faz sentido tirar proveito de qualquer recurso que possa reduzir o investimento em estoque e, ao mesmo tempo, permita que uma empresa mantenha e, em última análise, melhore os níveis de serviço.

Para os CFOs de varejo e atacado, o principal objetivo é fazer com que os investimentos em inventário sejam os mais produtivos possíveis e, para tanto, é importante estar ciente do volume de inventário disponível. Garantir o equilíbrio entre estoque “insuficiente” e “excessivo” pode ser complicado, mas a tecnologia de otimização de estoque pode ajudar os varejistas a gerenciar efetivamente esse equilíbrio e garantir que o que eles tenham em mãos faça sentido do ponto de vista econômico.

Confira estas três desculpas comuns para ter produtos "de mais" disponíveis e avalie como um sistema de otimização de inventário sofisticado pode ajudar.

Desculpa nº 1: “disseram-me para nunca deixar o produto XYZ sem estoque”

Esse é um desafio comum. Toda empresa tem itens chave que devem ter estoque disponível o tempo todo. Porém, quando “nunca ficar sem estoque” é decretado, seu sistema de reabastecimento deverá poder lhe dizer quanto custará para atingir essa meta, bem como o impacto de não ser tão estrito e permitir uma taxa de reposição de 98 ou 99%. A melhor solução de otimização de estoque da categoria permite que os executivos simulem várias estratégias de investimento em serviços para determinar quanto investimento em estoque é necessário para atingir um determinado nível de serviço antes de comprometê-lo com a produção. Além disso, uma solução eficaz de otimização de estoque rastreia todas as unidades de estoque adquiridas independentemente do motivo, fornecendo vários estratos distintos, que são atualizados em tempo real para que um executivo possa visualizar, instantaneamente, quanto de estoque a empresa possui e por quê. 

Desculpa nº 2: “o fornecedor exige um lote mínimo muito alto”

Esse é outro problema comum. A capacidade de um varejista de resolvê-lo geralmente depende da quantidade mínima negociada com o fornecedor. Mas, independentemente do tamanho de uma empresa no mercado, seu sistema de reabastecimento deve permitir a análise do estoque e sugerir o ciclo de pedidos mais rentável. Isso significa a capacidade analisar padrões dos pedidos, se eles ocorrem todos os dias ou uma vez ao ano. Isso também significa considerar os dólares anuais gastos para uma determinada linha de um fornecedor, o que inclui custos de geração de pedidos, custos de transporte, custos de estoque, custos de estoque de segurança ou pedidos compostos, com base em diferentes tamanhos de pedidos e descontos. O resultado disso é determinar o ciclo de pedidos mais lucrativo a ser implementado. Se um varejista conseguir demonstrar como o estoque mínimo afeta a rentabilidade, poderá usar como uma poderosa ferramenta de negociação com os fornecedores. Na pior das hipóteses, se as negociações falharem, os estratos de inventário das soluções de otimização de estoque permitirão ao varejista medir quanto de estoque incremental foi comprado apenas para atender aos lotes mínimos do fornecedor.

Desculpa nº 3: "a temporada não gerou as vendas que esperávamos"

Identificar adequadamente as SKUs com demanda sazonal, criar perfis sazonais e atribuí-los talvez seja o componente mais crítico da previsão de demanda, mas que frequentemente é mal executado. A identificação correta da sazonalidade é absolutamente crítica para prever com exatidão; o perfil sazonal errado é pior do que nenhum perfil. A identificação da sazonalidade afeta todos os outros componentes do investimento em estoque. Para grandes varejistas, o problema é exacerbado pelo grande volume de combinações de itens/lojas. Outro problema comum é a demanda intermitente, o que complica ainda mais a criação de perfis sazonais e a atribuição correta deles.

O método tradicional de lidar com a sazonalidade era agregar a demanda por um agrupamento lógico de família como uma subcategoria ou classe de SKUs, criar um perfil sazonal com base nessa agregação e atribuí-lo a todas as SKUs do grupo. Essa abordagem pode resultar em altas taxas de erro porque nem todos os padrões de venda de SKUs correspondem à curva sazonal agregada e o reconhecimento da sazonalidade em SKUs de demanda intermitente no nível da loja de itens é impossível, especialmente quando são usados métodos tradicionais. Uma sofisticada ferramenta de gerenciamento de estoque é capaz de atribuir o perfil sazonal correto às SKUs dos itens da loja, melhorando assim a exatidão da previsão ao simplesmente fornecer um perfil sazonal melhor.

Agregando valor com a otimização do estoque

O gerenciamento eficaz do estoque, em um ambiente de varejo complexo, requer um sistema de otimização de estoque projetado para acomodar todas essas variáveis e ainda manter a usabilidade. Por fim, a rentabilidade do estoque reside em práticas ótimas de compra e reposição de estoque de segurança, que protegem contra a incerteza na oferta e na demanda. Ao otimizar seus investimentos em estoque, os varejistas podem obter um retorno significativamente melhor do seu dinheiro, maximizando os níveis de vendas e atendimento ao cliente com o investimento mínimo em toda a rede.

Cumpra sua promessa aos clients