Artigo

Faça perguntas pertinentes

Por Adrian Gonzalez,
Ask Good Questions

Você precisa de uma solução de otimização de transporte?

Um número surpreendente de executivos de transporte e de logística responderia “Não” a essa pergunta. "Nossas operações não são tão complexas", diriam eles, ou "nós quase sempre enviamos cargas completas, então não há nada para otimizar".

No entanto, se você perguntar a esses mesmos executivos: “Você deseja conduzir suas operações de transporte e de logística da forma mais eficiente e econômica possível, atendendo às exigências do cliente?” Todos eles responderiam “Sim” (ou assim esperaríamos!).

De acordo com o dicionário Merriam-Webster, otimizar é “deixar o mais perfeito, eficiente ou funcional possível”. Não é isso que os profissionais de transporte são pagos para fazer? Dessa perspectiva, a otimização não é opcional; está entrelaçada no DNA da gestão de transporte.

Então, por que as duas respostas diferentes?

Uma mentalidade voltada à melhoria contínua

Acredito que isso se dá porque muitos profissionais de transporte e de logística analisam a otimização da maneira errada.

Eles a enxergam principalmente como um aplicativo de software em vez de uma mentalidade voltada à melhoria contínua.

Sim, a tecnologia facilita a otimização, mas o processo de tornar o transporte “o mais perfeito, eficiente ou funcional possível” não começa com algoritmos e fórmulas matemáticas, começa ao fazer perguntas, como:
  • Estamos enviando os pedidos dos melhores locais (centro de distribuição vs. loja vs. dropshipping)?
  • Qual seria o impacto no custo e no serviço se tivéssemos um dia adicional no lead time?
  • A carga inferior a um caminhão (LTL) ainda é o modo certo para enviar nossas remessas? E quanto às cargas contínuas com várias paradas?
  • Devemos usar cross-docks ou centros de recebimento comum em nossa rede?
  • Por que há sempre uma fila de caminhões em nossa doca esperando para carregar ou descarregar?
  • Faz sentido implementar uma frota específica em algumas de nossas faixas?
  • Estamos utilizando nossos gastos com transporte da maneira mais eficiente possível?
  • Por que estamos gastando tanto com taxas suplementares?

Independentemente da simplicidade ou complexidade das operações de transporte, você deve sempre fazer perguntas que desafiem o status quo e busquem oportunidades para reduzir custos, melhorar o atendimento, reduzir riscos e melhorar a experiência do cliente.

Como você responde a essas perguntas?

Tendências em soluções de otimização de transporte

É aqui que entra a tecnologia, especificamente os sistemas de gestão de transporte (TMS) com recursos de otimização.

As empresas podem usar soluções de otimização para resolver as questões de execução, de táticas e de estratégias. “Podemos combinar várias remessas de LTL em uma única carga de caminhão?” É um exemplo clássico de uma questão focada na execução. "Como devemos direcionar nossos caminhões para as entregas de amanhã?" é outro exemplo, especialmente para empresas com frotas privadas que desejam minimizar a distância percorrida e, ao mesmo tempo, atender às janelas de entrega dos clientes.

Exemplos de questões mais táticas e estratégicas são: "Qual seria o impacto de custo e serviço se convertêssemos 20% de nosso volume para intermodal?" e "Deveríamos converter de pré-pago para cobrarmos em nosso frete de importação?"

Discutir os diferentes tipos de soluções de otimização de transporte disponíveis e como eles funcionam vai além do escopo desta publicação, mas vale a pena mencionarmos algumas tendências:
  • Você não precisa ter um doutorado para usar uma solução de otimização de transporte. As soluções atuais são muito mais simples, configuráveis e intuitivas do que as do passado.
  • As principais soluções usam mecanismos de otimização dinâmica para a execução. Ao contrário dos mecanismos de otimização estática que determinam a melhor solução com base em uma análise daquele momento (mas que pode ficar desatualizada muito rapidamente), os mecanismos de otimização dinâmica analisam continuamente e obtêm a melhor solução à medida que chegam novos pedidos ou exceções.
  • O escopo da otimização do TMS está se expandindo além da execução para os domínios tático e estratégico também. A otimização centrada na execução sempre fez parte das principais soluções de TMS, enquanto a otimização tática e estratégica eram normalmente aplicações separadas e independentes. No entanto, como todos os três tipos de otimização dependem dos dados do TMS, os fornecedores de TMS estão adicionando recursos táticos e estratégicos às suas plataformas.

Na conferência Manhattan Momentum 2019, ocorrida recentemente, a Dra. Kimberly Ross, VP da Science at Manhattan, forneceu como exemplo uma visão geral dos recursos de modelagem de transporte da empresa e vários casos de uso, incluindo design de redes, determinação de frotas vs. políticas comuns de transportadoras e dimensionamento de frotas. “A modelagem de transporte foi projetada e construída para ajudar a avaliar o impacto de uma decisão política na rede de transportes”, comentou a Dra. Ross em sua apresentação. "Isso é feito por meio de uma combinação de otimização, simulação e análise".

Faça perguntas pertinentes

Alguns anos atrás, me deparei com a seguinte história, que foi publicada no The New York Times em 19 de janeiro de 1988:

Perguntaram uma vez a Isidor I. Rabi, um ganhador do Prêmio Nobel de Física: "Por que você se tornou cientista, em vez de médico, advogado ou empresário, como as outras crianças imigrantes no seu bairro?"

"Minha mãe me transformou em um cientista sem querer. Todas as outras mães judias do Brooklyn perguntavam a seu filho depois da escola: "Então? Você aprendeu alguma coisa hoje?” Mas minha mãe não. Ela sempre fazia uma pergunta diferente. Ela dizia "Izzy, você fez uma pergunta pertinente hoje?" Essa diferença, fazer perguntas pertinentes, fez com que eu me tornasse um cientista!

Essa diferença também é o que faz com que os profissionais de transporte tenham êxito em suas funções.

A otimização de transporte, ou seja, a jornada para tornar o transporte “o mais perfeito, eficiente ou funcional possível", começa com perguntas pertinentes. O processo de desenvolver perguntas, refiná-las e priorizá-las, o levará a novas ideias e insights sobre como melhorar suas operações de transporte. No entanto, não é possível responder a essas perguntas com eficiência, mesmo aquelas que parecem ser simples, com planilhas ou cálculos feitos à mão.

Então, a resposta é sim: você precisa de uma solução de otimização de transporte.

Sobre Adrian Gonzalez

Adrián González é um assessor confiável e analista líder no setor com mais de 20 anos de experiência em pesquisa sobre gestão de transporte, terceirização da logística e outros tópicos de supply chain e logística. É fundador e presidente da Adelante SCM, uma comunidade não hierárquica de aprendizagem, networking e pesquisa para profissionais de supply chain e logística. O Talking Logistics — um blog e programa de entrevistas online com a participação de líderes do pensamento e pessoas que são notícia no setor de supply chain e logística — é um dos serviços da Adelante e também o Indago, um serviço de pesquisa de mercado que reúne uma comunidade de profissionais de supply chain e logística que compartilham conhecimentos práticos e conselhos uns com os outros ao mesmo tempo em que contribuem com causas beneficentes.

Cumpra sua promessa aos clients